DARLING IN THE FRANXX

Darling in the FranxX, ou como eu gosto de carinhosamente chamar, que coisa ruim, mas que produção linda.

Não preciso nem dizer que sim, mesmo aparecendo episódios depois que homem também pode ser pistilo, aquela posição de controle é ridícula e serviu só para ter close de bunda e conotação sexual gratuita, porque no final de tudo, nada disso realmente importa.

E o que importa em FranxX? Bom, o que se tira dessa história é que você vai achar a asa que te falta pra voar, fim da análise.

Brincadeira.

Sinceramente eu não me interessei em buscar informação extra animação nenhuma sobre FranxX, vi um comentário ou outro sobre as “homenagens” a EVA e só tive a reação de “Ata”, porque FranxX me deixou mais irritado do que satisfeito.

Gostei muito de como foi contado a história do grupo 13, naqueles episódios que FranxX mergulhou de cabeça no drama novelesco e por isso me afeiçoei aos personagens. Já gostava desde o primeiro episódio da Zero Two, principalmente por causa do design de personagem e de como ela destoava do comportamento da maioria. Mas meu principal erro foi acreditar que FranxX iria trata com alguma relevância e profundidade os assuntos que de início pareciam que poderia permear a história, e no final das contas só pincelaram de forma extremamente rasa e duvidosa.

Pois é, estou falando sobre o papel de gêneros que FranxX pareceu (ou eu vi coisa aonde não tinha) que iria abordar. Mas se assim como eu, você foi iludido, vamos dar as mãos e fingir que nunca vimos essa grande confusão que é FranxX. E não amiguinho, eu não quero que tudo nesse mundo fale sobre gênero, representatividade e toda a pauta que a militância aqui do ocidente defende. A única coisa que eu espero é que, já que se pretende tocar no assunto, que faça no mínimo de forma decente e nem isso FranxX fez.

Inclusive muito me espanta a forma literal que a Zero Two é construída e retratada. Ela é um clone de um alienígena, fim. Eu, ingenuamente, acreditava que o fato dela ter chifres, era uma representação de uma mulher/menina que não age de acordo com aquilo que lhe é designado socialmente, mas não, ela é mesmo um clone que acredita que drenar toda a vitalidade de seu parceiro, fará com que ela se torne humana (porque ela foi ensinada a acreditar nisso).

É muito bizarra a mensagem que se deixa no subtexto da construção da Zero Two, e digo subtexto, porque isso é a leitura que eu tenho do que é apresentado. Você pode ler a construção dela de forma literal, como eu já citei, e entender que ela só queria ser humana (ai entra a discussão sobre o que é ser humano ou não, mas que pra mim só falou o que um monte de obra já disse e de forma melhor) ou perceber que de fato, ela destoar de forma comportamental das demais garotas (não ser submissa, ser respondona, ficar pelada e não tá nem ai, abraçar o Hiro e etc) e ter chifres, que automaticamente evoca a imagem de demônio, que de forma generalizada, é associado a “ruim” ou malvado, significa que ser garota e ser assim é ruim. E depois a gente descobre, que o Hiro não pode pilotar com mais ninguém, porque ele teve contato com a Zero Two na infância, pilota com ela e é “infectado”, se torna algo parecido ao o que ela é e MORRE.

E aquela cena ridícula dos Nine falando sobre o fato deles não se importarem com coisas como gênero e os sentimentos, os fazem pessoas “SUPERIORES”??? E depois que aparecem os Virm e o que eles querem é libertar todos dos seus corpos terrenos e com isso se fazer da igualdade uma realidade e ambos são, em algum momento da história VILÕES!???!!!O que vocês esperam que eu tire dessa grande bolota de cocô que é esse roteiro, que aliás é cheio de facilitações para as coisas chegarem aonde chegaram????

Por isso eu volto a dizer, FranxX leva tudo ao pé da letra, pelo que parece. Tudo que é dito nesse grande emaranhado de coisa, precisa ser pensando no contexto daquele mundo, que TEORICAMENTE superou essas questões e a única coisa que importa é a sobrevivência. Logo, não existe nada de muito substancial para se tirar dessa história.(nem o amor lindo da Zero Two e do Hiro se salva minha gente, desculpe) Se você conseguiu terminar satisfeito e tocado, parabéns, seu poder de abstração é muito maior que o meu e isso pode ser até que bom, porque mesmo eu adorando o episódio de flashback do Hiro e da Zero Two, FranxX só foi ladeira abaixo.

Alguém engoliu a entrada repentina de uma guerra de urrossauros (urrossauros kkkkkkkkk * meme do t-rex gritando DISGRAAAÇAA) com os Virm, assim, DO NADA? A mais o papa parecia suspeito, pipipopo… Gente não, não mesmo. Pareciam adultos estranhos de um estranho culto futurista, mas alienígenas???? Não mesmo.

A única coisa boa é animação e trilha sonora mesmo, porque de resto. Até Little Witch Academia que tem um tom cartunesco e as vezes um humor infantil, conseguiu se sair melhor que essa bomba in the Franxx.

Apreciation post das minhas reações a FranxX:
https://twitter.com/Fractionnaire/status/998049219599568897

Segue o vídeo do Vídeo Quest, que explica com mais detalhes o que eu quis dizer:

Anúncios