Chuunibyou demo Koi ga Shitai! – Resenha

O post de hoje é especial por dois motivos: primeiro, esse é o primeiro post conjunto que fazemos, já que nós três adoramos a série e cada um tinha algo bom para contribuir aqui. Segundo, porque Chuu2 é o melhor anime de comédia do ano. Sem mais.

Difícil explicar a sensação de ver um anime que conseguiu superar suas expectativas. Acho que é uma mistura de “Eu não disse?” com “Acabou… e agora o que eu faço?”. Lembro que o PV de Chuu2 já me fez rir alto (e sim, passei vergonha por estar na faculdade essa hora), e de imediato o adicionei ao meu Plan to Watch. Pesquisando sobre, descobri que o seiyuu do Yuuta era ninguém menos que o Jun Fukuyama (ele e o Mamoru Miyano são minhas paixões!).

~ Jun Fukuyama: isso explica a semelhança de Lelouch com Dark Flame Master

~ Jun Fukuyama: isso explica a semelhança de Lelouch com Dark Flame Master

E mais, o diretor, Tatsuya Ishihara também dirigiu obras como Clannad, Full Metal Panic Fumoffu e Lucky Star! Isso explica como a história conseguiu mesclar comédia, drama e realismo fantástico de forma tão incrível e fluida.

Quem nunca se sentiu excluído por gostar de algo que ninguém ouviu falar, ou pior, que os outros acham ridículo? Depois que passamos por isso, decidimos que é melhor fingir ser como a maioria (ou ocultar nosso outro lado) do que ficar de escanteio, nos “socializar”. No começo Yuuta está determinado a isso, ao menos é o que ele pensa. O mais engraçado é o quanto Yuuta “paga pela boca”. Quando chega à nova escola, sem conhecer ninguém, ele vê a chance de se tornar um “estudante normal” e apagar o Dark Flame Master de seu passado.

02

Mas ele não contava com a aparição da fofíssima Rikka, sua vizinha que sofre de chuunibyou e sabe de seu segredo. Assim, ele inevitavelmente vai se aproximando dela, o que resulta na criação de um dos melhores clubes que já vi: Sociedade Oriental de Magia e Cochilo de Verão. Com o passar dos episódios, vamos conhecendo melhor tanto o casal principal quanto os ótimos personagens secundários: Ishikki-kun, Kumin-senpai, Dekomori e Nibutani (NiseMori Summer kkk). Como disse no outro post, por mais que existam inúmeras cenas hilárias (e o velho moe), Chuu2 foi, de mansinho, chegando cada vez mais fundo no kokoro de quem assiste. Fiquei muito feliz ao ver como a cumplicidade e companheirismo de Yuuta e Rikka se desenvolveu, e como um salvou o outro.

*-----*

*—–*

Com personagens que evoluem durante toda a série, eles chegam num patamar de originalidade, descartando o pré-conceito que tivemos a princípio. E é nisso que se sustenta a proposta de Chuunibyou: o auto-descobrimento, ou seja, estamos sempre mudando, sempre sonhando, sempre “almejando ser”. E encontrar pessoas que nos respeitam do jeito que somos é crucial para que isso se concretize. Eu sofro de Chuunibyou. E você?

~ Resultado do ócio: O meme que criei para Chuu2

~ Resultado do ócio: O meme que criei para Chuu2

Kitsune-chan

________________________________________________________________________________________

“Banishiment this World!” é a frase que agora eu falo todas as vezes que vou jogar S4 – é aquele jogo Coreano que mistura esporte com carnificina, mas sem uma gota de sangue – e obviamente é por causa de Chuu2. Como a terrível e assustadora Mazaki-sensei – só que não – vive dizendo que todos somos pseudo-cults porque adoramos coisas de um”nicho” diferente e que as vezes não agrada a maioria dos otakinhos mas também não resistimos um moe e algumas comédias pastelão, eu me rendo as pressões e assumo esse titulo(oi?). Agora vamos ao que interessa.

Chuu2 não me chamou a atenção na primeira olhada na PV e muito menos na sinopse, foi assistindo ao primeiro episódio que fui completamente arrebatado pelo incrível trabalho de arte e animação que a série mostrou, gostei dos personagens mas não foi amor a primeira assistida, o que me motivou a querer ver o segundo episódio foi o visual mesmo.

Lá pelo terceiro episódio você já começa a se habituar a toda aquela loucura e recitações de feitiços com o bônus do momentos hilários de negação do Yuuta e quando menos espera você já ama todos os personagens, sem exceções. Mesmo sendo voltado pra comédia e romance, Chuu2 tem sim uma profundidade muito interessante e um desenvolvimento muito agradável e fluído, com ápices de afloração de emoções nos episódios finais, que em momento algum soam forçados ou desnecessários. A forma como a série aborda os temas de isolamento, distorção da realidade, maturidade e aceitação soam pra mim como um daqueles filmes da Disney, que você termina de assistir sorrindo e otimista quanto a vida – e logo depois cai na realidade e quer matar o primeiro que falar alguns decibéis mais alto que você-.

O fato de uma série ser leve, não diz nada sobre a sua qualidade e Chuu2 é mais uma prova disso. Ainda me sinto meio órfão com o final da série, que fez as minhas noites carregadas de estresse do trabalho e familiar, mais tranquilas e relaxadas. Me fez rir muito alto as vezes madrugada a dentro – tão alto que minha mãe acordou e disse que fico rindo com os fantasmas (?) – e também me chorar e até refletir, porque sempre buscamos respostas para nossos questionamentos mais complicados que debates de religiosos e cientifico, e acabamos esquecendo que também existe beleza no simples.

Pra fechar minha parte, todos girando os dedinhos e cabelos e gritando “DEATHSU”! ( Isto é uma ordem do Ringo Master e não).

Augusto

________________________________________________________________________________________

Chuunibyou Demo Koi ga Shitai - 03 - Large 30

Não tenho muito para falar sobre chuu2byou que seja muito diferente do que já foi dito aqui. Confesso que eu também pensei que chuu2byou fosse ser péssimo, só pelo fato de ter uma garota de tapa-olho na capa (preconceito mandando um abraço). A preview me fez ficar meio desconfiada com o anime, mas quando assisti o episódio em si, esse sim conseguiu me conquistar bastante.

Não só a história é muito envolvente (assim como os personagens), mas também a animação samba na cara de muitos animes por aí que contém cenas de luta (coff coff SAO, coff). Principalmente entre Rikka e Yuuta, há vários detalhes e gestos pequenos no decorrer da série que mostra o quanto já estão próximos um do outro, dando um aspecto mais realista ao romance deles.

Vi também muita gente reclamando do final de chuu2byou, dizendo que foi uma grande decepção entre outros. O anime deixou mesmo em aberto o final, e achei algumas coisinhas um pouco apressadas/rápidas demais. Mas não dá para dizer que foi tão decepcionante assim. Claro que todo mundo queria mais sobre o romance dos dois, eu sempre quero mais dos romances nos animes. Então acredito que chuu2byou encerrou bem, não concluiu a história – foi mais uma espécie de slice of life (não exatamente) – podia ter sido melhor, mas foi bom o suficiente.

E é isso, como eu já tinha dito, não tenho muito o que acrescentar. E agora, atendendo aos pedidos.

Fernanda

13493743749337 13493755853179

Anúncios