Shinsekai Yori – Episódios 2 e 3

Seguindo a linha de trocar as aberturas por flashbacks, Shinsekai continua introduzindo o espectador naquele novo mundo, com costumes diferentes e antiquados, com uma evolução decrescente da sociedade e mesmo ainda não dito, Shinsekai mostra um futuro com a total a ausência da democracia.

Acho incrível a tensão que esses três episódios carregam, sem mostrar de fato algo que te deixe apreensivo. A subjetividade da trama é tão forte que para os espectadores mais atentos ela salta da tela em vários momentos, toda aquela calmaria e o clima ameno constantemente soa falso, pelo menos pra mim. Entretanto a forma que somos apresentados a tudo aquilo é bem dinâmico e fica longe de ser chato e maçante. Os personagens ainda não me causaram simpatia, mas confesso que aos poucos estou sendo conquistado por cada um.

O segundo episódio começa com o Imperador do Prazer, realizando um sacrifício para si mesmo e queimando as quinhentas pessoas que parassem de aplaudir. Não falou muito, mas já deixou bem claro que o mundo já havia decretado a queda da democracia e que o sistema governamental estava mais pra uma ditadura, do que pra monarquia. Em seguida temos aquela competição em que, mais uma vez fica bem claro que qualquer criança que aparente a falta de domínio ou um domínio maior de seus poderes, eventualmente vai desaparecer, porque ambas representam, de forma inconscientemente para as mesmas, um perigo para o  sistema. Vemos também como os contos sempre acabam na morte dos protagonistas e esse em especial não foi apresentado com a mesma arte do primeiro, talvez o motivo tenha sido que o conto, na verdade aconteceu. E o que eles querem dizer as crianças com essas lendas? Se você for diferente, independente ou pensar por si próprio você cairá em desespero e terá um fim trágico. Tenha medo dos seus poderes e seja submisso, caso contrário você se levará a ruína. Ridículo, porém eficaz.  O legal foi ver que os protagonistas alimentam entre si uma confiança mútua, tanto que imaginando que a atitude de Saki em ajudar o bakenezumi, pudesse causar algum mal para eles e ela , decidem guardar segredo do ocorrido.

Outra coisa que me deixa bem intrigado é os constantes cortes de câmera para o rosto de Saki em determinados momentos, ela não diz nada, porém a expressão e a forma como ela está sendo focada diz tudo e isso, como eu já havia dito é o forte de Shinsekai, pouco é dito mas o que é mostrado diz muito.

Já o terceiro episódio mostra 70 anos após o domínio do imperador do Prazer e o ataque de assassinos ao novo imperador. Com uma arte incrivelmente linda e uma animação muito bem fluída, levam grande destaque nesse episódio, pois Shinsekai ainda não mostrou nenhuma cena de ação rápida e intensa, como foi essa do flashback. Flashback que abriu o episódio deixando o espectador mais apreensivo que de costume, pois já deixava claro que o negócio ia começar a borbulhar. Seguimos com as crianças nessa viajem e mais uma vez a A-1 mostra a qualidade técnica em ambientalização, cenas lindas e enquadramentos sutis. Só pra reafirmar que a evolução é decrescente, novamente é contado a lendas sobre coisas que podem ser perigosas e leva-los a morte. Aquela coisa indígena de que se a noite você sair pra navegar em algum rio, pode encontrar a Iara e ser hipnotizado por seu canto ou qualquer outro conto folclórico que já aterrorizou muita criancinha por ai, só pra ela sossegar e ir dormir sem rodeios, entretanto aqui esse tipo de ferramenta é usado de uma forma diferente e não aterroriza só crianças.

Acho que já está claro que os protagonistas, assim como nós, não acreditam muito nas leis que regem o mundo que vivem e o encontro com aquela “biblioteca biológica” vai ser o estopim para uma rebelião, na verdade para mais uma.Reparem também que eles já ficam cientes de que foram hipnotizados, ou seja eles, agora, estão cientes de que estão sendo controlados. Interessante ressaltar o monólogo sobre a evolução também dos animais e como esses poderes também influenciaram na fauna, mas voltemos aos momentos finais. Saki já colocou as asinhas de fora e começou a meio que torturar o pobre animal,usando de uma agressividade que é característica dela, ela consegue tirar algumas verdades que INFELIZMENTE serão ditas, só no episódio 4.

Diretamente de pandora – avatar – para shinsekai, eu lhes trago a verdade muahaha! n

Posso surtar agora? Posso falar que fiquei tenso?P O S S O. OHHH MAI GOD, esses episódios  estão ótimos, não sei que rumo que a série vai tomar, mas a cada episódio vai ficando nítido que tudo vai desabar e eu fico VEM NI MIM REBELIÃO! E o que falar dessa subjetividade deliciosa , que faz seu cérebro zunir ao tentar decifrar o que não foi dito? É MUITO PRO MEU KOKORO, É MUITO PRO CÉREBRO! Outra coisa, se as possíveis cenas de lutas forem iguais a da abertura, POR FAVOR serão orgásticas, com sangue explosão e cabeças nos ares. Prévia do 4º episódio foi de surtar, principalmente com a frase “ eu sei de coisas que podem destruir as leis que regem seu mundo” – ou alguma coisa assim, hehe -. Fiquei pulando na cadeira com a cara na tela, muito eufórico. Agora que venha o próximo sem demorar, porque esse espectadorzinho aqui está com as unhas no toco de ansiedade.

Anúncios