Neon Genesis Evangelion

Ohayou minna! Vamos ao próximo tópico do meu querido ringochi. Nada menos que Evangelion, sim ele mesmo, o tão cultuado Evangelion. Aí você me pergunta “mas porque você fica postando resenhas de animes antigos?”. Primeiro, existem vários blogs que já estão no ar há tempos e sempre fazem reviews dos animes da temporada, falam sobre coisas novas no mundo dos mangás e animações, entretanto, diferente deles meu propósito não é trazer quentinhas do nihon, para os atokus sedentos por novidades, como já disse no primeiro post, só quero expor minhas opiniões sobre os animes, que no caso eu “estou descobrindo”. Podem me chamar de noob, poser e o diabo por ainda não ter assistido Evangelion, mas não sou o tipo de pessoa que tem muitas afinidades com animes de mechas, porém ultimamente eu ando gostando de alguns (Eureka, Rinne no Lagrange) e como em quase todos os lugares e quase todos os otakus falam sobre Evangelion, resolvi dar uma chance ao anime e tive uma ótima surpresa.
Sinceramente, não consegui captar muito nitidamente a mensagem de Evangelion (talvez eu deva ter a mente limitada demais pra compreender toda a piração do enredo). Entretanto, a forma como os complexos dos personagens foram apresentadas me agradou muito, e mesmo achando alguns dilemas exagerados demais, consigo enxergar que isso foi, de certa forma, necessário para dar um tom sério a todo o contexto da série. Assisti aos primeiros episódios e achei que o anime em si não seria nada demais e de repente sou estapeado por Hideaki no episódio 14, onde a série começa a ficar mais densa. O personagem que eu mais me afeiçoei foi Misato, ela é, em muitos aspectos, parecida com Shinji, o fato de Misato já ser adulta mostra que apesar de ainda sofrer com seus complexos e “demônios” ela consegue viver e realmente ter “vontade de viver”. Isso pra mim demonstrou que Misato – não totalmente – conseguiu seguir em frente e encontrar um motivo pra continuar respirando (mesmo que o motivo não seja o mais melhor de bom do mundo, convenhamos). Ela segue firme em seu propósito e faz de tudo para que as pessoas que ama estejam bem. Um personagem forte e determinado, mesmo que o próprio autor a defina como fraca, eu não a vejo assim. Não sei realmente se isso foi pesado quando decidiram criar os personagens, mas acredito que se Misato tivesse a idade de Shinji e vivesse tudo o que ele estava vivendo, talvez ela reagiria da mesma forma (lembrando que ela passou boa parte de sua adolescência muda, por conta do segundo impacto), mas o fato dela ter sobrevivido, e ser mais velha que Shiji a deixou mais firme em suas decisões. Já Shinji mergulhado em seus demônios oscila em apatia e fachos de coragem, hora ama, hora odeia, chora, se masturba em um momento muito WTF e acaba sobrevivendo. Asuka me irrita, mas confesso que adoro o momento like a boss dela no the end of evangelion e fiquei pasmado com a forma que ela foi morta, senti pena dela e sim só isso que tenho a dizer sobre ela, só me irrita. Rei, sempre desconfiei que ela não era uma humana rs.Não confunda minha forma simples de definir esses personagens com “eu acho que eles não são bem desenvolvidos ou superficiais”. Realmente é muito simples detectar cada personalidade, característica e conflito de todos os personagens, mas acredito que o que vale mais é a forma como isso é mostrada e nisso o anime não peca em nada. Fica muito claro que os acontecimentos são apenas um pano de fundo para os dilemas dos personagens, o que aliás é o foco do anime todo. Tudo realmente me prendeu, até os EVAs, que eu achei que seriam coisas que eu iria ignorar totalmente, me deixaram curioso a ponto de ver 26 epis e 2 filmes em apenas dois dias.

Eu realmente amei toda a ambientação do anime, toda a mitologia criada e a como as batalhas foram mostradas. Não tenho muita certeza se essa minha afirmação será “correta”, mas acredito que como Madoka veio e desconstruiu o gênero mahou shoujo, EVA fez o mesmo com o genêro mecha, que se eu não me engano era muito popular nos anos 90 (pfvr fiquei com preguiça de pesquisar essa “minha tese”, sem pedras). Se esse foi um dos propósitos de EVA, foi muito bem executado e com toda a certeza, assim o cumpriu.

Sei que alguns episódios tiveram suas verbas baixas, dá pra notar que algumas cenas foram reaproveitadas em diversas vezes, mas eu acredito que isso não atrapalhou em nada a qualidade da narrativa. E falando em narrativa, tenho algo a dizer sobre ela, acho ela brusca demais, não é gradativa. Você está acompanhando três adolescentes e seus mechas, felizes e “normais” lutando contra o mal e vencendo (apesar que desde o inicio as batalhas são violentas) e bam o clima todo de happiness é simplesmente expurgado da trama. Isso me incomodou bastante, não gosto de livros ou séries em que o desenvolvimento dela sofre mudanças drásticas sem mais nem menos, gosto de ir apreciando pedaço por pedaço pra poder entender na totalidade o que eu estou vendou ou lendo, pra não ficar confuso e convenhamos que “deixar confuso” deve ser o sobrenome do Hideaki. Porém isso não é totalmente ruim, porque a melhor parte do anime começa depois dessa quebra.

Não coloquei no textos as questões ideológicas, psicológicas e etc e tal de EVA (até porque ainda estou digerindo tudo rçrçrçrç) e também não quero entrar em detalhes. EVA é bom, é importante, mas ainda continua sendo anime de mecha (risos) e por isso pra mim ele ainda não é o melhor de todos os tempos, das últimas semanas de agosto de 1995… pera, acho que da semanas de agosto de 1995 deve ter sido, whatever. A animação é excelente, claro que nos dias atuais temos trabalhos superiores, mas o trabalho da gainax foi primoroso, visualmente nada me incomodou (sabe aqueles animes antigos que as vezes ficam com a cabeça torta, a perspectiva tensa e etc e tal, então) as lutas são pura adrenalina, fiquei tenso em todas. As cenas do Shinji se autoflagelando verbalmente tem uma edição muito boa e me pareceu muito atual, os cortes de cenas sempre em momentos certos e uma tracklist muito boa (só não gosto da ending, corre). Não virei fã, nem hater, o anime é ótimo em todos os aspectos que ele se propõe em ser ótimo e qualquer fã de animes deveria assisti-lo.

 

Anúncios